• Arquivo

  • Anúncios

Entrevista com a one man band de Iguan White!

O alter-ego de Henrique Frederico, Iguan White, saiu de Tiros-MG levando seu rock primitivo e o faça você mesmo de sua one man band para o mundo. Com dois trabalhos lançados, um terceiro previsto para agosto, shows até pela internet e um curta metragem de faroeste, o Oi, tudo em cima? conversou com o líder e único membro desse projeto. O que o enigmático Iguan White tem a dizer você confere abaixo:

Quem é Iguan White?
Iguan White é um andarilho e defensor/colaborador da música primitiva não popular e concreta. Nascido na cidade de Tiros, no interior de Minas Gerais, Iguan White encontrou, desde bebê, a música como pergunta e resposta e fez dela sua filosofia.

Após intensos anos e muitos discos ouvidos, percebeu que a forma mais agressiva e personificada de se expressar era através de si mesmo e mais ninguém. Nisso juntou a harmonia da guitarra, uma melodia desafinada cantada – seja com sotaque do sul dos EUA ou um sotaque típico das Minas Gerais – e se fez completo com um bumbo e uma caixa em cada um dos pés. Tudo isso junto e ao mesmo tempo, inspirado de forma íntegra e literal no DIY (faça você mesmo).

Esse é Iguan White, surgido em 2007, com dois trabalhos lançados: um LP virtual (“Volume Zero”) e também um EP compacto de 7 polegadas (Three-Way Handshake), ambos em 2008. O rock primitivo de Iguan White pode ser interpretado de diversas formas, seja como garage rock, punk rock, pitadas de country e até blues. Isso cabe ao ouvinte apreciador (ou não) da música.

Como você entrou no mundo das one man bands?
Após gravar as primeiras canções no próprio quarto (o que ainda é feito), utilizei das mídias sociais para divulgação. Neste campo conheci muitos amigos, gravadoras e claro, muitas one man bands. Dentre esses contatos, Fernando (Thee Undead Big Blues Shit) de Curitiba e Du (vocal/guitarra da SuperDuo) de São Paulo foram os que mais me apoiaram inicialmente.

Junto aos contatos já formados, novas one man bands – conhecidas no Brasil como monobandas – surgiram, e as que já existiam resolveram criar a ABM (Associação Brasileira de Monobandas), responsavel por unir todos os músicos solitários, seja com divulgação de cada trabalho ou em turnê.

Você lançou um álbum através de uma gravadora indie internacional. Como foi o contato com gente de fora? Como foi o processo?
Foi surpreendente. Como disse, com as mídias sociai, adquiri contato com diversas gravadoras. O Roland, dono da Squoodge Records, da Áustria me convidou para lançar um trabalho com músicas inéditas. Em duas semanas terminei três músicas e enviei pela internet normalmente. As músicas foram prensadas em 100 unidades no formato vinil de 7 polegadas. Das 100 prensadas, 20 foram encaminhadas para mim e o restante foi distribuído gratuitamente por toda Europa. A repercussão foi incrível, sempre aparecia um ou outro novo contato vindo da Europa dizendo que possui o disco e gostou.

Você também faz shows online. A resposta é boa? É a opção ideal para tornar um trabalho independente conhecido?
Os shows online começaram como brincadeira e estão cada dia mais interessantes. Muitos têm interesse em poder acompanhar um show ao vivo e não tem oportunidade. Logo, porque não deixar que acompanhem direto de casa? A resposta e interatividade é muito boa, também a divulgação. É um complemento, uma opção de ação de uma banda, mas não é a principal maneira para divulgar, uma vez que é preciso público. É algo bem atual, ainda precisa da total sintonia de um determinado publico alvo.

E os shows ao vivo? É melhor do que fazer online?
Os shows online são interessantes, mas é algo virtual, você vê a reação das pessoas pelos textos enviados. Um show ao vivo para um público apreciador é algo muito mais intenso e único. A sintonia/interação entre público e banda é real.

Qual a sua one man band favorita? E quais são as principais influências do trabalho de Iguan White?
A minha one man band preferida é a J.Marinelli, por ser uma das primeiras que descobri e por ter grandes semelhanças quanto às minhas influências, que são bastante variadas, como Calvin Johnson, Wire, Billy Childish, Hasil Adkins, The Stooges, Ramones, BBQ, Whirlwind Heat, Cólera, The Adicts, 365, The Vibrators, Mike Long, Ennio Morricone, DZK, Mudhoney, Fogo Cruzado, Sonic Youth, Psykoze, Dead Elvis & His One Man Grave…

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: