• Arquivo

As primeiras críticas sobre o filme “W.E.”, de Madonna, começaram a sair

O que eu adoro em relação à Madonna é que está aí uma pessoa que não é vazia. Quem acha que ela é só mais uma pop bitch, está muito enganado. A mulher é muito, muito inteligente. Atualmente, ela está lançando seu novo filme como diretora, “W.E.”, em Veneza, como mostra a foto acima.

“W.E.” conta a história do romance entre o rei da Inglaterra, Edward VIII, e uma socialite americana divorciada, Wallis Simpson, que levou o soberano a abdicar do trono em 1936. Em paralelo é contata uma outra história que se passa em 1998: Wally, uma mulher presa num casamento sem amor e que se envolve com um segurança russo.

Algumas críticas já começaram a sair: o The Hollywood Reporter disse que “W.E.” soa artificial e programado; o britânico The Guardian insinuou que a diretora não criou essa história para ser séria, que ela deveria ser interpretado com bom humor.

Já o Daily Mail manda assim: “Independente de você gostar ou não de Madonna, esse é um dos maiores contos de amor da história”. O jornal também elogiou os figurinos e falou sobre as críticas: “O que uma cantora estrangeira sabe da nossa família real? Aparantemente, muito. Tem muita gente que passou os dois últimos anos afiando suas facas para atirar nesse filme, mas pelas duas biografias mais recentes sobre a duquesa, a visão de Madonna da história está completamente certa”.

Em outro momento, fala exatamente o que eu penso à respeito da carreira de diretora da loira: existe uma certa “falta de vontade” da crítica e do público com o fato da diretora ser Madonna. “Se as pessoas fossem ver sem saber quem dirigiu, [o filme] seria uma surpresa agradável”.

E não é? Penso o mesmo sobre “Filth & Wisdon”, primeiro longa dela, taxado de “parado” pela crítica,mas que é muito engraçado – e que teria arrancado milhões de prêmio e elogios se dirigido por qualquer cultzinho em um festival independente. É estranho: Madonna é uma figura tão icônica na indústria pop que as vezes a poesia se perde, sabe como? Ninguém vê nada além da persona – curiosamente, o novo filme tem essa ideia, a de ver além do mito que foi Edward VIII.

“W.E.” estreia no Brasil em dezembro e lá vamos nós pagar pra ver.  Mas eu tenho uma boa impressão: a história parece menos maluca que a de “Filth & Wisdom” e a trilha é de William Orbit, nosso xodó.

Abaixo, em uma entrevista para a TV italiana, ela fala sobre a influência da obra do cineasta Luchino Visconti no seu trabalho.

Clique aqui para ver imagens do filme “W.E.”

Anúncios

2 Respostas

  1. Um trailer de WE mostra um dos diálogos em plano sequência c/ bastante desenvoltura. Ela realmente parece ter aprendido algumas coisas c/ os maridos cineastas mas a cena ainda carece de maior coesão entre as personagens, ou pelo menos parece de acordo c/ a melhor avaliação da crítica… talvez a mais isenta de preconceitos 😉

    É isso aí Madonna: fazendo é que se aprende! Também sou admirador veterano dessa mulher linda e espetacular e ando curioso p/ ver esse filme e formar melhor um conceito independente de meu gosto pessoal pela Madonna.

  2. […] pulga atrás da orelha. Ela fez para o CD novo, mas acha que tem a ver colocá-la na trilha de seu novo filme, “W.E.”, que chega aos cinemas no final desse ano. Mas comenta-se que é uma coisa ou outra, ou seja, a […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: