• Arquivo

Entrevista com MC Gi

MC Gi estará em Belo Horizonte nesse sábado, dia 23, para se apresentar na @bsurda (clique aqui parea saber mais). Ela, que foi finalista do concurso para nova vocalista do Bonde do Rolê, vem chamando bastante atenção de produtores brasileiros e gringos como South Rakkas Crew (L.A), 3 Is A Crowd (Itália), Art Punk (Canadá), BSBTRGDCLUB e Comrade (NY). MC Gi tem como meta mostrar o funk como cultura brasileira. Hum! Leia a entrevista que Rafael Sandim, que também tocará na festa, fez com a moça.

Como começou o seu envolvimento com o funk?
Comecei a escutar no 1° colegial. Eu era uma das únicas com camiseta de banda na escola. Usava uma do Nirvana, que eu gosto muito por sinal. O pessoal começou a me mostrar, curti bastante e parei de ter o preconceito bobo que muita gente ainda tem.

Você já planejava se tornar uma cantora de funk quando começou a trabalhar como isso?
Não (risos). Foi a convite de um amigo meu, MC Thales, que aceitei gravar minha composição de “Funk do Mosquito”. Não imaginava que a resposta seria tão boa. Escrevi a música em uma brincadeira, não pensei em gravá-la.

O seu público é muito diferente ou existe um perfil?
Não rotulo meu público, porque tem muita gente diferente que escuta. As casas que canto sim. A maioria delas é alternativa ou GLS e adoro isso, pois o público frequentador é super fiel e me trata com muito carinho. Acho muito legal, porque o povo se mistura, têm muito casal hétero que vai me assistir numa balada GLS e não se incomoda em momento algum. A música une todos sem que haja discriminação.

Como você compõe as músicas?
A inspiração vem quando eu menos espero, pode ser um assunto em debate numa roda de amigos ou em uma matéria que esteja nos jornais naquela semana. Basta me chamar a atenção e eu notar que desperta interesse nas pessoas que eu componho.

Existe diferença do funk de Santos para o do Rio de Janeiro?
Existe uma diferença sim. No funk do RJ é mais fácil encontrar musicas com outro conteúdo, sem serem apenas de cunho social. Já na Baixada Santista não é tão comum, as letras são mais sérias, falam da realidade nas comunidades.

Quais são seus cantores favoritos?
Eu ouço muita coisa de diferentes estilos. Tem gente que nem acredita no meu gosto musical tão variado (risos). Mais aproximado ao meu estilo gosto da M.I.A. Aqui no Brasil, respeito a Deize Tigrona. Ouço de Nirvana a MR Catra, aprendi que preconceito musical não leva a nada.

Que músicas que as pessoas mais pedem para tocar?
Não podem faltar “Mexico Caliente”, “Tamanho é Documento”, “Quer Romance” e “Origami”.

Quais são suas expectativas para o show na @bsurda?
As melhores possíveis! Tem muita gente comentando, gente que foi me assistir da primeira vez e que irá novamente, pessoas que me conhecem há menos tempo e estão super empolgadas. Não tenho dúvidas de que será INCRÍVEL!

Anúncios

4 Respostas

  1. Hahaha que linda ela. Amaaaava o Funk do Mosquito!

  2. VLWWWWWWWWW GALERAA!!

    OBG THIAGO!!

    BEIJAO PRA TODOS ;♥

  3. Gi é #santospride HAHAHAHAHA
    amooooo
    adorei a entrevista
    Flavia
    http://www.juicysantos.com.br

  4. Entrevista ótima. MC GI é uma linda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: