• Arquivo

Melhores e piores filmes de 2010

Fazer lista é legal, todo mundo gosta de fazer e ler a dos outros. Seja para criticar ou conhecer algo novo. Então só vou dizer que essa lista é minha e de ninguém mais. Não teve enquete, eleição, consulta, reunião. Eu pensei aqui sozinho nos filmes que mais gostei e que são desse ano. Simples assim. Concordando ou não com ela, saiba que sim, eu tenho consciência de que muita coisa boa ficou de fora – até porque tem muita coisa que eu ainda não assisti.

“A Rede Social” – Direção de David Fincher
Sim, é o filme sobre a criação do Facebook, é mais um filme sobre batalha judicial. Mas também é sobre o Napster, sobre os bastidores de tudo, sobre tecnologia, sobre grupinhos das faculdades e, acima de tudo, sobre a nova geração que chega ao poder. A geração do prazer no trabalho, a geração que cria um emprego para si ao invés de procurar um. Fiz um texto todo sobre ele. É o filme do ano para mim. Não é pra ter em DVD e ficar revendo, mas me fez questionar muita coisa ao meu redor.

“Scott Pillgrim Contra o Mundo” – Direção de Edgar Wright
“Não tem como não gostar desse filme se você já jogou vídeo game na vida”, bem disse minha irmã, do alto de seus 16 anos, depois de assistirmos ao longa. A história é simples: o personagem do título deve derrotar os sete ex-namorados malvados da sua atual pretendente – igual na vida real, onde a bagagem do outro acaba perseguindo os dois. Mas o filme tem a melhor montagem e edição já vistas, muito rápidas e misturando elementos de games e quadrinhos. Um épico para quem nunca participou de protestos ou deixou família para ir à guerra. É a aventura máxima da geração que foi criado na frente da TV com comidinha da empregada. Tem mais sobre o filme aqui.

“A Origem” – Direção de Christopher Nolan
Achando confuso ou genial, todo mundo sai do cinema falando sobre o longa. “Sem final, sem sentido, sem noção” são outras coisas que falam. A história é tão irreal que às vezes o filme precisa ficar didático para a plateia acompanhar. Mas, para aqueles que acompanham, trata-se de um filme surpreendente em vários níveis – especialmente nos seus efeitos especiais e em seu roteiro original. Os menos esforçados não verão sentido algum. E isso é ótimo! São eles mesmos os que precisam aprender que nem sempre tudo faz sentido.

“Toy Story 3” – Direção de Lee Unkrich.
Precisa nem falar. É só a história mais tocante do ano. Para quem tem a minha idade, claro. E um belo de um teste de caráter. Chorou no final? Pode ser meu amigo.

“Kick-Ass – Quebrando Tudo” – Direção de Matthew Vaughn
Dirigido pelo produtor dos filmões de ação de Guy Ritchie, “Kick-Ass” mistura violência e sangue, muito sangue, com comédia e romance – sem pecar em nenhum aspecto. Não há piada sem graça, cena de luta mal feita e nem romance fácil. A visão feita do mundo adolescente americano tem seus elementos universais e o público – especialmente o masculino – vai morrer de rir com os contratempos do protagonista.

“Harry Potter e as Relíquias da Morte – parte 1” – Direção de David Yates
Não devo ter dito nunca aqui, mas Harry Potter é meu guilty pleasure. Nem li todos os livros – parei no quinto – mas talvez exatamente isso tenha me causado tanta fascinação pelo longa: ele era 100% inédito para mim. É muito interessante observar os rumos que um livro infantil pode tomar. Esse filme, em especial, é bem dark, cheio de suspense, conspiração e paranóia, bem diferente dos primeiros.

Decepções do ano

Começando com “Onde Vivem os Monstros”, um filme de duas horas baseado em um livro com nove frases. Ele é lindo, a fotografia é maravilhosa, as músicas (de Karen O, do Yeah Yeah Yeahs) são excelentes e a história até encanta. O que me incomodou foi a liberdade poética absurda que permitiram Jonze de ter. Se é para fazer um roteiro sobre sua infância, escreva um ao invés de sair por aí se intrometendo na história dos outros.

Outro foi “Alice no País das Maravilhas”, que é deliciosamente bom mas não é ótimo igual todo mundo esperava. E o principal erro é ter esse nome – já que a história é outra. A gente continua amando Tim Burton e Depp, mas passou da hora da dupla trabalhar em algo 100% inédito. Ah, tem também “Sex and the City 2”. Eu amo a série de paixão e até engoli o primeiro filme, mas esse aqui ficou bem exagerado. Eu finjo que não percebo e sigo gostando da série. Mas foi tenso e deu vergonha.

Já “Ilha do Medo” tem mais méritos, mas ainda me causou bocejos. O suspense é bom e crescente, mas aí chega nesse finalzinho? Posso citar aqui, agora, de cabeça, uns dez filmes com o mesmo the end. Rolava ter esperado chegar na locadora. E “Nine”? Dinheiro no lixo! A história é falsamente complexa e não há como contá-la com a rapidez proposta. E Penélope Cruz é uma espanhola que interpreta uma italiana que fala inglês. Sem mais.

Gabriel

Anúncios

7 Respostas

  1. praticamente concordo com TUDO o que você escreveu. ficou genial esse post 🙂

  2. concordo com a sua lista. excepto numa coisa. Apesar do Nine ter sido muito mau, a Marion Cotillard (ela era a mulher do realizador) fez uma performance magnífica. Eu acho que ela é que devia ter sido nomeada para os Oscares em vez da penelope cuz. Just saying: http://www.youtube.com/watch?v=WLX-Ko7XMis&feature=related.

    • pô, o filme é da marion. ela é muito linda e ótima atriz. depois lê o texto ali que falo só sobre “nine”. tem um parágrafo inteiro sobre a moça ;***

  3. Sério, gostei muito da sua lista de “likes” e “dislikes”, só achei que na primeira opção deveria constar o “Tropa de Elite 2” que foi uma espécie de redenção ao fascismo do primeiro. Além de ter atuações seguras, o filme possui um roteiro extremamente complexo e revelador. É todo real, e seu pessismismo fez com que saíssemos do cinema refletindo sobre a vil realidade que nos cerca, chegando a render aplausos em algumas salas de cinema como a minha. Ponto para o cinema nacional!

  4. Bom post, mas discordo em genero e grau sobre o “Onde vivem os montros”.

  5. Concordo com quase tudo. Senti falta de Black Swan, que não só é um dos meus filmes favoritos de 2010 (apesar de só ser lançado no Brasil em 2011 eu já assisti, não aguentei), como também é um dos filmes favoritos da minha vida!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: